Mc Donald’s x Jamie Oliver

26 Flares Filament.io Made with Flare More Info'> 26 Flares ×

Eu me deparei com a notícia a seguir no facebook há mais ou menos um ano atrás, quando a comentei na rede social. Vou tentar reproduzir aqui o texto, mas acredito que tenha ficado melhor da outra vez:

<< Após o chefe de cozinha e ativista Jamie Oliver descobrir – e divulgar em seu programa de TV – que a rede McDonald’s utiliza hidróxido de amônio para converter sobras de carne gordurosas em recheio para seus hambúrgueres nos Estados Unidos, a marca anunciou que mudará a receita, segundo informações do jornal Mail Online. “Estamos comendo um produto que deveria ser vendido como a carne mais barata para cachorros e, após esse processo, dão o produto para humanos”, disse Oliver. “Por que qualquer ser humano sensato colocaria carne com amônio na boca de suas crianças?”, questiona.

SIGNIFICADO DE HIDRÓXIDO DE AMÔNIO:
O hidróxido de amônio, de fórmula química NH4OH é uma base solúvel e fraca, só existe em solução aquosa quando faz-se o borbulhamento de amônia (NH3) em água.
Hidróxido de Amônio não é considerado cancerígeno pela OSHA.
Resumo de riscos: Nocivo quando ingerido, inalado e absorvido pela pele. Extremamente irritante para mucosas, sistema respiratório superior, olhos e pele.
Efeitos agudos: A inalação pode causar dificuldades na vítima como consequência: espasmos, inflamação e edema de garganta, pneumonia química e edema pulmonar.
Efeitos crônicos: A exposição repetida ao produto pode causar tosse, respiração ruidosa e ofegante, laringite, dor de cabeça, náusea, vômito e dor abdominal.
Órgãos afetados: Estômago e pulmões. >>

——————————————————————————————————————–

Vamos lá: para começar amônio e amônia não são a mesma coisa.

Hidróxido de amônio é uma base fraca que pode ser utilizada como aditivo em produtos cárneos, com função antimicrobiana (afinal, que milagre químico é esse de transformar gordura em carne pra alimentar cachorro e gente? No máximo, com uma base forte, seria possível fazer um sabão).

O composto é reconhecido como seguro (GRAS) pela OSHA (Europa) e pelo FDA (EUA), que têm leis bem mais rigorosas do que as nossas no quesito segurança alimentar. As empresas utilizam soluções MUITO diluídas do composto (as pessoas parecem imaginar, assutadas, que eles mergulham o hambúrguer numa bacia de detergente Limpol, ou algo assim). Ele não é considerado cancerígeno e os efeitos nocivos de ingestão e inalação só ocorrem com soluções concentradas, não com os traços encontrados nos alimentos.

De qualquer forma, se você ainda tem receios, a rede não utiliza o aditivo no Brasil* e está gradualmente abandonando seu uso também nos EUA, devido à polêmica criada, a qual gerou um processo judicial. Lembrando que os produtores e os varejistas de carne o continuam empregando, é claro, já que ele não apresenta nenhum problema.

O Jamie Oliver é galã, cozinha bem e etc, mas chefs de cozinha não deveriam dar pitaco naquilo que eles não sabem. Se você quer um bom motivo para não consumir Mc Donald’s, evite as notícias alarmistas e comece pelo péssimo valor nutricional dos principais carros-chefes da lanchonete ou pela sua publicidade alienadora de crianças, por exemplo.

*Não sei informar ao certo qual o antimicrobiano utilizado pelo Mc Donald’s no Brasil, mas apostaria em compostos clorados – talvez um pouco mais preocupante que o hidróxido de amônio.

Se você quer ler sobre o mito do hambúrguer de minhoca do Mc Donald’s, clique aqui

 

Alimente a discussão:

  1. Pingback: Nuggets Feitos de Meleca Rosa | Alimentando a Discussão

  2. Estou amando seu blog!
    Como eng alimentos é muito bom ter textos assim para mostrar às pessoas que as coisas que falo não saem da minha cabeça! Parabéns!

  3. Pingback: Hambúrguer de Minhoca do Mc Donald’s | alimentandoadiscussao