jujubas

Jujubas de Carne

Esses dias, me mandaram uma publicação no facebook, que continha a foto abaixo, seguida de vários comentários de pessoas horrorizadas com a descoberta:

Imagem

 


Para quem não sabe, a gelatina é uma mistura de proteínas e polipeptídeos, feita a partir do colágeno hidrolisado. O colágeno está presente exclusivamente em tecidos animais, principalmente nos tecidos conectivos e musculares, compondo tendões, cartilagens e outros ligantes da pele, ossos e chifres. A gelatina é obtida comercialmente através da fervura em água (ou solução ácida diluída) desses tecidos, que faz com que o colágeno seja quebrado e solubilizado. Depois, a mistura é clarificada e seca. Para formar a gelatina em pó, o produto é moído e peneirado. As principais fontes de gelatina como alimento são o colágeno bovino e suíno, porém existem outras, como caprinos, equinos e peixes.

Além da aplicação doméstica, a gelatina é muito utilizada na indústria de alimentos, principalmente em sobremesas e doces como pudins, mousses, flans, bolos, sorvetes, iogurtes, balas e a famigerada jujuba. A gelatina também é utilizada como espessante e/ou estabilizante em diversos produtos, incluindo laticínios (margarinas, queijos, cremes) e molhos. Em alguns países (e, antigamente, no Brasil), a gelatina era utilizada em vários produtos lights que tinham redução de gordura, afim de criar uma textura cremosa para compensar a falta dos lipídeos. Fora as aplicações em alimentos, também se utiliza a gelatina nas seguintes indústrias: farmacêutica; cosméticos; produtos de higiene pessoal; produtos de limpeza doméstica; fotografia; produção de colas e tintas.

Portanto, se alguém for vegetariano, basta verificar se o produto contém gelatina em sua composição. Alguns alimentos vêm substituindo o uso da gelatina por outros aditivos, incluindo gomas de origem vegetal ou bacteriana, como guar, xantana, arábica, gelana e carragena. Para substituir o uso doméstico, o mais comum é o ágar-ágar, extraído de algas. Essas também são alternativas para certas religiões (judaísmo, islamismo, hinduísmo) que proíbem o consumo de alguns animais ou requerem abates especiais, mais difíceis de se rastrear a partir da gelatina do que da carne.

Nesse contexto, a gelatina nada mais é do que um subproduto das indústria de carnes e de couro. Ou seja, os animais não são mortos especificamente pelo colágeno, mas esses tecidos podem ser aproveitados por diversas indústrias. Já me posicionei, em outros posts, a favor do aproveitamento máximo da matéria-prima animal de qualidade: nos nuggets; no caldo de carne; nos hambúrgueres e na salsicha.

Sendo assim, é importante frisar que matéria-prima para a produção de gelatina são animais saudáveis e liberados para consumo, portanto não há nenhum problema de segurança ou higiene associado ao seu consumo. Muito pelo contrário, o consumo de colágeno é associado à saúde e beleza da pele, unhas e cabelos. Como aditivo, a gelatina é liberada e considerada como segura pelas legislações nacionais e internacionais.

Bom, esclarecendo a imagem: jujubas e gomas de mascar não são feitas de carne. As segundas não são nem sequer feitas de gelatina, mas sim de resina de árvores (goma natural) ou de polímeros derivados do petróleo (goma sintética). Por esse motivo, não tratei delas aqui (podemos deixar para um próximo post). Já as jujubas e vários outros produtos contêm gelatina – a qual tem origem animal sim, mas também não é exatamente carne, pois não é o músculo do animal em si.

 

Fontes:

spacer

6 comments on “Jujubas de Carne

  1. Vitória Sampaio

    Muito bom…???

  2. Pingback: Carne Mal-Passada Sangrando | Alimentando a Discussão

  3. Pingback: Soja: Boatos e Mitos | Alimentando a Discussão

  4. Pingback: Carmim de Cochonilha: Insetos na Minha Comida? | Alimentando a Discussão

  5. Pingback: Gummy Bears e a Diarreia | Alimentando a Discussão

  6. Natasha

    Muito bom, como de costume!!!
    Mas agora me deu vontade de comer gelatina, pudim, jujuba…………