miojo de galinha

Miojo com Cera do Mal

Hoje vamos analisar mais uma daquelas hoaxes que existem há mais de 10 anos, populares nas correntes do Hotmail e renascidas nos compartilhamentos em massa do Facebook. Essa é bem especial  porque nem sequer tiveram o trabalho de inventar uma historinha, uma faculdade x e um professor y, então a gente nem vai precisar ficar procurando outras características típicas de hoax – a falta de assinatura, data e de fontes já nos basta (crédito para o autor: pelo menos essa é uma corrente breve e objetiva, uma raridade!). Chequem a pérola:

 

hoax do miojo

hoax do miojo

 


 

 

Para começar, o macarrão instantâneo (vulgo miojo) não tem nenhum tipo de cera em sua composição. Ao ler um exemplo de lista de ingredientes, podemos encontrar aditivos como corantes, estabilizantes, realçadores de sabor e anti-umectantes – mas nenhum tipo de cerídeo ou agente glaceante. O motivo pelo qual ele “não gruda” (e essa afirmação é bem relativa – conheço gente que consegue fazer grudar) é que ele passa por uma secagem em óleo fervente (mais conhecido como fritura) durante seu processamento, e é exatamente isso que o torna desidratado e instantâneo – aliás, o produto também pode ser consumido direto antes da fervura, pois não está “cru”. De forma semelhante, é comum adicionarmos azeite durante o preparo do macarrão tradicional, para evitar que grude e dar mais sabor.

Mitos sobre alimentos cancerígenos existem aos montes, mas achei legal o autor apontar “o câncer” como se fosse uma doença específica, tipo “a tuberculose” – câncer de quê, cara pálida? O que existe, de fato, é a intoxicação por parafina, que pode causar sintomas como dores abdominais, náuseas, vômitos e constipação intestinal – o que está bem longe de câncer e do miojo, de qualquer forma (acho que acontece quando você come uma vela por acidente, ou algo assim). Na verdade, o problema do macarrão instantâneo é um só, simples e extremamente comum em diversos alimentos: a alta quantidade de sódio. Conforme eu já expliquei nos posts do caldo de carne e da soja, o consumo do mineral em excesso pode gerar certos agravantes à saúde, especialmente a hipertensão.

Para ser justo, existem sim alguns alimentos que utilizam certas ceras como aditivo, principalmente como impermeabilizante ou agente glaceante, porém essas são compostos específicos de pureza controlada para uso seguro em alimentos, aprovados pelas legislações nacionais e internacionais – e não oferecem nenhum risco à saúde humana. Os principais exemplos são a cera de abelha, a carnaúba e a goma-laca (que eu citei no post do carmim de cochonilha), utilizadas principalmente na superfície de produtos como balas, chicletes, doces e até mesmo queijos. Mas não no miojo.

 

Fontes:

spacer

3 comments on “Miojo com Cera do Mal

  1. natihennemann

    HAHAHAHAHA QUANDO VC COME UMA VELA POR ACIDENTE!!!!!!!!!!!
    Essa corrente eu nunca tinha visto… mas é sempre bom saber! Ainda mais que miojo é um quebra-galho, querendo ou não.

  2. Bia Poker

    aaah, essa estava muito fácil e o post ficou muito rapidinho 😉

  3. Valdir

    Interessante Pedro que eu estava lembrando dessa besteira referente ao macarrão instantaneo. Eu nao seo o que é pior, acreditar numa bobagem dessas ou repassar para alertar os “amigos” do perigo da parafina no miojo. E cada dis tem uma nova. A bola da vez parece ser o leite que aparece em “estudos” que mostram que causa cancer, etc. Ainda bem que tem o blog do Pedro para orientar os consumidores.